#cap1 #cap2 #cap3 #cap4 #cap5 #cap6 #cap7
.  

INSS

Concurso INSS: MPF recomenda autorização de edital até maio

25/04 - O Ministério Público Federal recomendou que o Ministério da Economia autorize o concurso INSS – Instituto Nacional do Seguro Social. Conforme documento divulgado pelo MPF nesta terça-feira, 23, foi dado o prazo de 30 dias, ou seja, até o fim de maio, para que o aval seja concedido pelo governo.

A recomendação já foi enviada à Presidência do INSS e ao Ministério da Economia para que cada parte tome as medidas necessárias para o provimento dos cargos de técnicos, analistas e peritos.

Assim que publicada a autorização do ministro Paulo Guedes, a autarquia deverá elaborar um cronograma para realizar o concurso, com prazo processual máximo de 180 dias para a posse dos aprovados. O documento também estabelece que os órgãos realizem os estudos necessários em conjunto para definir o número ideal de vagas e cargos. O quantitativo não deve ser inferior ao déficit atual, de cerca de 10 mil cargos, e também deverá ser formado cadastro de reserva para suprir as vacâncias que surgirem ao longo do prazo de validade do concurso. A estimativa, passada pelo MPF, é que, hoje, 9 mil servidores já podem se aposentar.

O INSS tem um pedido de concurso, que foi encaminhado em 2018, aguardando aval do Governo. Nele, são solicitadas 10.468 vagas, sendo 6.034 para o cargo de técnico, 2.222 para analista e 2.212 para médicos peritos.  O MPF recomenda a autorização dessa solicitação em sua totalidade.

Cargos                  Escolaridade                                Remuneração

Técnico                 nível médio                                   R$5.186,79

Perito                    nível superior                                R$12.638,79

Analista                nível superior                                R$7.659,87

O presidente do INSS, Renato Vieira, já recebeu a notificação do MPF, como é possível atestar em ofício divulgado no site do ministério. Tanto o Ministério da Economia quanto o INSS têm 30 dias úteis, contados do dia 23 de abril, para informar as providências adotadas para cumprir a recomendação.

O texto é assinado conjuntamente pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e a Procuradoria da República no Distrito Federal. As procuradoras responsáveis são Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira e Eliane Pires Rocha.

MPF denuncia precarização dos serviços no INSS

Em nota divulgada no seu site oficial, o MPF denuncia o esvaziamento do corpo de servidores do INSS e salienta que isso tem inviabilizado a concessão regular dos direitos à previdência e à assistência social. Quadro esse que levou à decisão de recomendar o concurso.

“A precarização dos serviços prestados pelo INSS tem, no entanto, afetado essa garantia constitucional, além de lesar os cofres públicos em virtude da judicialização para a efetiva obtenção dos benefícios.”

De acordo com o Ministério, existe um déficit de cerca de 10 mil funcionários, além de pelo menos 9 mil que podem se aposentar a qualquer momento. O MPF alega “incapacidade do órgão na prestação de benefícios”. A espera para a resposta do pedido já chega a mais de um ano em alguns casos.

O órgão também denunciou que algumas medidas recentes para sanar os problemas no atendimento de beneficiários não  resolveram o problema. Em 2018, o INSS estabeleceu que toda a solicitação de serviços fosse feita mediante agendamento por telefone ou pela Internet, sem assistência direta e presencial de servidores. Todavia, dados de março daquele ano do Painel de Monitoramento da autarquia apontam, segundo o MPF, que mais de 2,1 milhões de pedidos para análise ainda estão pendentes.

“Mais da metade dos milhões de beneficiários da Previdência é composta por pessoas pobres e de idade avançada – circunstância que, associada a uma presumível formação educacional deficiente, indica que pouca ou nenhuma chance possuem de tirar suficiente proveito dessa ferramenta virtual, inclusive a do tele atendimento.”

__________________________________________________________________________________

INSS receberá funcionários da Infraero, mas também quer concurso

09/04 - No aguardo pela autorização do concurso INSS e precisando readequar os processos de trabalho para atender as suas demandas, o Instituto Nacional do Seguro Social confirmou que receberá funcionários da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), para complementar a sua força de trabalho.

Contudo, em nota encaminha à FOLHA DIRIGIDA nesta quinta, 4, o INSS admite que a vinda desses profissionais não resolverá todo o problema da necessidade de pessoal da autarquia. Sobre o ganho de funcionários da Infraero, o instituto afirma que "seria mais um reforço para a melhoria do atendimento". 'Mais um', porque o instituto continua no aguardo pela autorização do pedido de concurso público, protocolado no ano passado e sob análise no Ministério da Economia.

"Todos os anos, o INSS solicita a recomposição de sua força trabalho ao Governo Federal. O pedido encontra-se em analise no Ministério da Economia", diz a autarquia. De acordo com o INSS, parte do quadro da Infraero deverá ser recebida em breve. "No momento, os dois órgãos estão fazendo um levantamento dos profissionais que teriam interesse em vir para o INSS", explica o instituto.

Além disso, segundo o INSS, para que os funcionários da Infraero sejam recebidos, está em andamento um estudo de quais áreas receberiam essa nova força de trabalho. O atendimento, onde há maior necessidade, pode ser contemplado.

Sem concurso, INSS perde mais de 10 mil servidores

Na nota enviada à reportagem da FOLHA DIRIGIDA, o INSS também atualizou dados sobre necessidade de pessoal. Segundo o instituto, atualmente 32.108 servidores estão em atividade.

No entanto, de acordo com a autarquia, 34% dessa mão de obra possui condições de se aposentar em 2019. Ou seja, mais de 10 mil profissionais podem entrar com o pedido de aposentadoria a qualquer momento.

"Só em janeiro deste ano, 296 servidores já pediram a aposentadoria. A redução iminente do quadro de pessoal exigiu uma readequação organizacional dos processos e redimensionamento da forma de trabalho para atender as demandas do INSS", revelou o instituto.

Segundo o INSS, para contornar essa situação e agilizar os processos de concessão de benefícios, outros procedimentos (além do pedido de concurso e ganho de funcionários da Infraero) vêm sendo adotados.

O objetivo é facilitar e modernizar a rede atendimento. Para isso, estão sendo ampliados os serviços disponíveis na Central de Tele atendimento.

Um novo modelo de gestão também está sendo implantado, com as Centrais de Análise, com o objetivo de reduzir o número de processos represados nas agências e o tempo de espera dos segurados para a concessão de benefícios.

De acordo com o INSS, as centrais funcionam da seguinte forma: um grupo de servidores é realocado para atuar exclusivamente na análise e concessão de benefícios, nas 104 gerências-executivas em todo o país.

"A previsão é de que a força de trabalho aumente em mil servidores atuando nessa área, já que o INSS está realocando servidores que atuam nas unidades de atendimento para trabalharem, exclusivamente, na análise para concessão de benefícios", explica a autarquia, mostrando que a necessidade de pessoal permanecerá, mesmo com a digitalização

Os servidores que atuam nessas centrais não precisam deixar suas agências de lotação, segundo o INSS. A atuação deles acontece de forma remota. "Isso vem otimizando a força de trabalho, sem necessidade de novos gastos com deslocamento de profissionais", explica a autarquia. Ausência do concurso INSS compromete direitos dos idosos, diz deputada.

De acordo com o instituto, nesse novo modelo de gestão, as agências funcionam como pontos de atendimento de segurados para o recebimento de documentos, prestação de informações ou mesmo acolhimento da parcela da população, que não tem acesso à internet.

________________________________________________________________________________

Concurso INSS será pedido em nova reunião da Fenasps com presidente

28/03 - O concurso INSS voltará a ser cobrado do presidente do Instituto Nacional do Seguro Social, Renato Rodrigues Vieira. É que a Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Fenasps) solicitou reunião com o titular da autarquia para discutir temas referentes à reestruturação do instituto.

De acordo com o diretor da Fenasps, Moacir Lopes, o concurso público está na pauta. "Cobraremos o concurso. Independentemente de digitalização ou cessão de funcionários de outras empresas, o INSS precisa de concurso público para preencher os mais de 15 mil cargos vagos da sua estrutura", afirmou o sindicalista.

No encontro, que deve acontecer em abril, serão discutidas as propostas polêmicas do governo para tentar resolver o déficit de pessoal no INSS. As duas principais são digitalização dos serviços e o uso de funcionários da Infraero no quadro do instituto. Na visão do sindicato, contudo, nenhuma das propostas resolve o problema.

"Digitalizar não soluciona, pois apenas tecnologia não garantirá a qualidade do serviço. O ministro Paulo Guedes tem falado muito em digitalização, mas o sistema de inteligência digital não abrange várias necessidades complexas do INSS, como, por exemplo, a perícia", explicou.

A ideia da Fenasps e discutir todas as necessidades da autarquia, demonstrando que as soluções propostas não resolverão o problema.

"Queremos que o presidente do INSS nos represente e leve as nossas demandas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e chefes do governo, para que repensem e definam estratégias mais objetivas e que tragam melhorias reais para o atendimento da população".

_______________________________________________________________________________________

Concurso INSS 2019: superintendente do Piauí fala de autorização

"O concurso INSS está autorizado", revelou o superintendente do Instituto Nacional do Seguro Social no Piauí, Ney Ferraz.

05/ 02 - O superintendente do Instituto Nacional do Seguro Social no Piauí, Ney Ferraz, informou que o concurso INSS 2019 está autorizado. Segundo ele, são esperadas 17 mil vagas, distribuídas por todo o país.

Apesar das declarações do superintendente, a portaria autorizativa do concurso do INSS ainda não foi publicada no Diário Oficial da União. Ou seja, o aval oficial ainda não foi concedido. Na entrevista, o superintendente também deu previsões para que o INSS abra a seleção.

"Creio que até o final deste semestre (até junho) já deva estar lançado o edital, tanto para a Assistência Social e serviços meio (técnicos e analistas), quanto para médicos peritos", confirmou.

As declarações de Ferraz foram dadas, após o dirigente ter sido questionado sobre o grave dé􀃒cit de pessoal nas agências da Previdência do estado. O INSS ainda não se pronunciou oficialmente sobre as informações.

O pedido de concurso do INSS, sob análise do governo desde 2017, é para 7.888 vagas, sendo 3.984 para técnicos, 1.692 para analista e 2.212 para peritos.

Entretanto, neste pedido, o INSS aguardava também a liberação para convocar excedentes do concurso de 2015. O total, portanto, era de 16.548 vagas.

Como a seleção de 2015 teve validade encerrada em agosto de 2018, é possível que o governo tenha realocado essas vagas para um novo edital, totalizando as quase 17 mil mencionadas pelo superintendente.

Essas informações, contudo, ainda não foram esclarecidas, nem pelo INSS, nem pelo Governo Federal. 

No início de 2019, o pedido de concurso INSS teve novas movimentações e chegou à assessoria parlamentar. Antes, foi concluída na Divisão de Concursos Públicos.

A falta de concursos e de servidores no instituto reflete  diretamente nos atendimentos prestados à população, como a concessão de benefícios.

_________________________________________________________________________________

FONTE: FOLHA DIRIGIDA 

 

Nome:
Senha:
 
 

Concurso MP-RJ para área de apoio sai em 2019, diz órgã

Concurso PRF: Bolsonaro autoriza a chamada de mil aprovados

<