#cap1 #cap2 #cap3 #cap4 #cap5 #cap6 #cap7
.  

INSS

Protocolo do concurso INSS tem movimentações. Pedidas 7.888 vagas

11/01 - No dia 7 de janeiro, o pedido de autorização do concurso para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) teve movimentações no Ministério da Economia. A pasta absorveu as funções do antigo Ministério do Planejamento, responsável pela autorização de concursos federais.

A solicitação de novo edital para o INSS com 7.888 vagas foi concluída na Divisão de Concursos Públicos. Ainda no dia 7 de janeiro, foi recebida na Assessoria Parlamentar do Gabinete do Ministro.

No site do Protocolo Integrado, é possível ver que os avanços ainda constam nos setores internos do Ministério do Planejamento.

A FOLHA DIRIGIDA questionou a Assessoria de Imprensa do Planejamento nesta quinta-feira, 10. Perguntou se a solicitação do concurso continua em análise, já que o Ministério foi extinto pelo governo de Jair Bolsonaro. Suas funções foram passadas para pasta da Economia, comandada por Paulo Guedes.

Em nota, o setor respondeu que: “As atribuições da Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) serão mantidas pelo Ministério da Economia. Em relação ao status do processo interno, o ministério não se manifesta sobre o que ainda está em andamento”.

________________________________________________________________________________

'Pedido de concurso INSS continua em análise', confirma Ministério 

27/12 - Boa notícia para quem deseja ingressar no Instituto Nacional do Seguro Social: o pedido para autorização do concurso INSS, com 7.888 vagas, continua em análise no Ministério do Planejamento. A confirmação é do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), ao qual o instituto é vinculado.

Em nota enviada à FOLHA DIRIGIDA, a Assessoria de Imprensa da pasta. responsável por encaminhar as solicitações de novos concursos para o instituto, reafirmou:

“A solicitação de concurso para o INSS continua em análise no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão”.

No dia 17 de dezembro, o Ministério do Planejamento arquivou dezenas de pedidos de concursos federais , que foram realizados em 2017. Um dos órgãos que recebeu a negativa foi o INSS.

A Assessoria de Imprensa da autarquia, no entanto, esclareceu que foi arquivado apenas o pedido de convocação de excedentes do concurso de 2015, com validade encerrada em agosto. A solicitação para abertura de uma nova seleção permanece em trâmite no Planejamento.

“O INSS Informa que o Ofício enviado pelo MDS foi um encaminhamento da nota técnica do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, indeferindo o pedido do INSS de aditivo de vagas do concurso público regido pelo Edital nº1/2015, que à época estava vigente. Quanto ao pedido do um novo concurso público feito na PLOA 2019, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, ainda não se manifestou”.

PLOA 2019 prevê recursos para concurso INSS

Aprovado pelo Congresso Nacional em meados de dezembro, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2019 tem reserva de recursos para inscrição  em concurso e processo seletivo na seguridade social.

No texto há uma previsão de receita de R$10.745.945 para inscrição em concursos públicos ou processos seletivos. Esse valor está dentre as despesas do Orçamento da Seguridade Social.

Procurada pela reportagem da FOLHA DIRIGIDA, a Assessoria de Imprensa da pasta não con􀃒rmou se essa verba seria destinada ao novo concurso INSS.

A PLOA 2019 ainda precisa ser sancionada pelo presidente. Caso o texto seja aprovado sem vetos, o concurso INSS estará mais próximo, já que há reserva de receita com taxas de inscrição desse concurso. Para que a seleção aconteça, entretanto, ainda será necessária uma autorização do Ministério do Planejamento.

________________________________________________________________________

Em entrevista, presidente do INSS fala sobre novo concurso

06/ 11 - O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Edison Garcia, falou sobre o concurso INSS nesta segunda-feira, dia 5. Ele reconhece que o atendimento à população nas agências da Previdência poderá se agravar por causa das aposentadorias de servidores em janeiro de 2019.

Para minimizar o problema, já que o governo ainda não autorizou concurso para o INSS, Garcia diz que vem tomando várias medidas para modernizar o atendimento e reduzir as filas nas agências, tais como a implementação de sistemas de inteligência para a concessão de benefícios.

O presidente do instituto também vem negociando com o governo no sentido de tentar reter por um ano, prorrogável por mais um, os servidores que poderão se aposentar em 2019.

“Nós lidamos historicamente com pessoas, e a gestão histórica do INSS criou um distanciamento das agências, que concede benefícios. Para mudar isso, estamos buscando, nesta minha gestão, modernizar o INSS e implantar sistemas inteligentes para a concessão de benefício, como as concessões automáticas, visto a necessidade, e pelo iminente agravamento de atendimento por causa das aposentadorias de servidores em janeiro de 2019”, disse Edison Garcia, em entrevista ao jornal Extra.

O presidente do INSS afirmou ainda que não tem uma resposta do governo se haverá autorização de concurso para a autarquia, mas mostrou-se esperançoso de que o pleito possa ser atendido em 2019. O INSS tem um pedido de 7.888 vagas de técnico, analista e perito médico tramitando no Ministério do Planejamento.

“O Planejamento diz que há o ajuste fiscal, não tem previsão de concurso e está restritivo. A área técnica do Ministério do Planejamento diz que olha com bons olhos os órgãos que fazem o dever de casa para compensá-los com uma liberação de concurso. E como o INSS vem fazendo grande esforço de gestão, de mudança de procedimento e buscando e􀃒ciência, eles são muito animados com este trabalho e acham que é uma condição importante para um concurso em 2019.”

_______________________________________________________________________________________________

Concurso INSS: Fenasps recorrerá ao TCU para agilizar autorização

01/10 - Representantes da Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) se reuniram com a presidência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para discutir diversos aspectos sobre as condições de trabalho dos servidores e, também, cobrar novidades em relação ao concurso INSS. 

O encontro aconteceu na última terça-feira, dia 25 de setembro, com a Fenasps resolvendo ir ao Tribunal de Contas da União (TCU) por um aval.

Segundo o secretário de Administração da Fenasps , Moacir Lopes, que esteve presente na reunião, o presidente do INSS, Edison Garcia, afirmou que a realização de um novo concurso está na pauta da presidência. No entanto, as vagas seriam destinadas apenas às agências que apresentam um déficit maior de pessoal. Moacir Lopes destacou ainda que não há informações de quando acontecerá a votação para a liberação do orçamento que será destinado à realização do concurso.

Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, o secretário de Administração da Fenasps reforçou que o sindicato segue cobrando a autorização do concurso. O INSS pede 7.888 vagas ao Ministério do Planejamento. Dessas, 3.984 seriam destinadas ao cargo de técnico do INSS, que exige nível médio, 1.692 para o cargo de analista do INSS e 2.212 para o cargo de perito do INSS. No dia 23 de agosto o MP divulgou um parecer com os trâmites necessários para a autorização do concurso INSS.

________________________________________________________________________________

Concurso INSS: Planejamento explica critérios para conceder aval

27/08 - Em ofício divulgado nesta quinta-feira, dia 23, o Ministério do Planejamento deu um parecer sobre os trâmites necessários para a autorização do novo concurso INSS. Nele, a pasta esclarece quais critérios vem seguindo na análise da seleção do Instituto Nacional do Seguro Social para conceder ou não a autorização. O pedido é para 7.888 vagas nos níveis médio e superior.

A resposta do Planejamento é destinada à Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), que vem cobrando contratações.

No texto, a pasta explica que, nas análises necessárias de autorização de concursos públicos, são considerados aspectos variáveis. Entres eles, segundo o Planejamento, está a necessidade atual e futura da instituição, grave no INSS, já que faltam mais de 16 mil servidores, já considerando aposentadorias previstas. O ministério cita ainda os seguintes critérios para considerar a autorização:

Desses três pontos, o concurso do INSS pode sair em vantagem pelo menos em dois. Isso porque a necessidade do órgão em comparação com outros é maior. O que comprova isso são dados do próprio Ministério do Planejamento.

Segundo o Painel Estatístico de Pessoal da pasta, o INSS é, ao lado do Ministério da Saúde, o órgão que mais sofre com saídas de servidores este ano. No total, 1.699 servidores deixaram o instituto em 2018.

Conveniência e oportunidade do atendimento da demanda tem a ver com a grave necessidade de pessoal nas agências da Previdência em todo o país. A única pendência, portanto, é a previsão orçamentária e financeira.

Para isso, é preciso que o governo priorize a demanda do INSS no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2019, podendo as admissões ficarem ainda para 2020, o que ajudaria a viabilizar o concurso no ano que vem.

A favor do INSS o próprio Planejamento reconhece que vem atendendo as demandas, apesar do cenário de crise. De 2013 a 2017 5.100 servidores foram contratados no INSS. Isso também pode ser um fator positivo para que uma nova autorização aconteça.

Planejamento também explica veto à chamada de excedentes

Outra dúvida da Fenasps respondida pelo Ministério do Planejamento é sobre o porquê de a pasta não ter autorizado a convocação de excedentes do concurso de 2015. O Planejamento informou que não tem obrigação de convocá-los. A obrigatoriedade é apenas para as 950 vagas imediatas do edital, preenchidas.

O motivo de não ter saído a autorização adicional aparece no item 5 do ofício: o orçamento limitado. Segundo o Planejamento, as demandas de preenchimento de vagas em outros órgãos e o orçamento curto impediram o governo de conceder o aval para novas chamadas. O concurso do INSS de 2015 perdeu a validade no último dia 5 de agosto, não podendo haver novas convocações. A seleção foi para 950 vagas, sendo 800 de técnico e 150 de analistas. Apenas os aprovados dentro das vagas foram convocados.

Solicitação do INSS vem avançando no Planejamento

Enquanto o Planejamento analisa os critérios mencionados, o pedido de concurso do INSS vem avançando na pasta. A movimentação mais recente foi na última segunda-feira, dia 13, quando o processo chegou na Divisão de Concursos Públicos da pasta. Apenas este mês foram 30 avanços.

Entre os setores mais importantes que faltam estão Secretaria de Orçamento, Assessoria Jurídica e gabinete do ministro do Planejamento, Esteves Colnago. Com o 􀃒m da validade do concurso de 2015, a expectativa é que o pedido de novo edital seja analisado de forma mais rápida.

________________________________________________________________________________

FONTE: FOLHA DIRIGIDA 

 

Nome:
Senha:
 
 

'Todo ano faremos concurso para 2 mil policiais', diz Witzel sobre PM

Polícia Civil-ES publica edital de concurso com 173 vagas